Os protestos catalisados pelo assassinato de George Floyd, nos EUA, geraram um importante debate acerca do estímulo à violência policial em filmes e séries de TV. Séries policiais são bastante comuns na televisão americana e podem acabar – mesmo que indiretamente – normalizando comportamentos agressivos de policiais. Chicago P.D. não é exceção.

Apesar de trazer um personagem bem problemático – Hank Voight – Chicago P.D. chegou a lidar com o racismo e a violência policial, especificamente homenageando Trayvon Martin, outra vítima desses dois problemas que assolam nossa sociedade.

Martin era um estudante de 17 anos, assassinado por George Zimmerman na Flórida, EUA, quando estava voltando para casa após fazer compras em uma loja de conveniência.


Trayvon não cometeu crime algum e estava desarmado, ainda assim foi baleado por Zimmerman, que estava responsável pela vigilância da vizinhança naquela noite. O estudante morreu em razão de seus ferimentos.

No episódio Night in Chicago, 13º da sexta temporada, Chicago P.D. mostra o detetive Atwater se encontrando com alguém disfarçado, quando ambos são abordados por dois policiais. O que acontece é similar ao caso de Martin, com um dos policiais sendo retratado como racista, que acaba atirando em um dos homens.

Os eventos do episódio ainda se passam no dia 5 de fevereiro, que marcava o aniversário de Trayvon Martin. Uma bela homenagem que ainda serve de alerta para a violência policial.

Dito isso, a série ainda tem muito a melhorar, especialmente no que diz respeito a Hank Voight.

Policial corrupto

Hank Voight é um dos principais personagens de Chicago P.D. e também é um dos personagens mais brutais da franquia One Chicago. Ele é o sargento da Unidade de Inteligência do Departamento de Polícia de Chicago.

Embora seja respeitado pela sua equipe, ele é conhecido por usar táticas sujas e não tem medo de machucar as pessoas para conseguir o que quer.

Ao longo de Chicago P.D., Voight já assumiu a culpa por outros personagens várias vezes e mantém contato com criminosos e traficantes de drogas. Ele já até cometeu homicídio para prender os bandidos.

Com os protestos em alta, os espectadores passaram a criticar mais enfaticamente as ações de Hank Voight e a forma como a série aborda isso.

As críticas aparecem em tamanha quantidade que é possível que o personagem acabe sendo morto na série. Ao menos muitos especulam isso – afinal, sua permanência pode prejudicar Chicago P.D. a longo prazo.

Alguns fãs (via CheatSheet) chegaram a chamar Voight de “o policial mais corrupto de todos”, o que não ajuda a série, visto que ela pode ser acusada de passar pano para esse grande problema de nossa sociedade.

Chicago P.D. deve voltar no final de 2020. No Brasil, a série é exibida no canal Universal e está disponível no Globoplay.