Uma antiga produtora de Friends alega que foi assediada sexualmente pelos roteiristas da série e ainda revelou fatos impróprios que teriam acontecido nos bastidores da comédia.

O Metro News teve acesso a documentos judiciais de uma mulher chamada Amaani Lyle, contratada em 1999 por Adam Chase e Gregory Malins, escritores da série, para ser assistente de roteiro de Friends. A acusadora alega em processo que ouviu diversos comentários sexuais e racistas naquele ano.

Entre os principais assuntos da dupla, conforme Amaani, estavam as suas preferências e fetiches sexuais, que envolviam líderes de torcida e “mulheres com seios grandes”. Além disso, a produtora garante que os roteiristas se gabavam que poderiam “dormir com o elenco feminino de Friends se quisessem”.

>> CONTINUA APÓS PUBLICIDADE

Outra revelação da ex-assistente é de que Mallins tinha o desejo de transformar Joey, personagem de Matt LeBlanc, em um estuprador. O documento aponta que o roteirista “frequentemente fantasiava sobre escrever uma cena em que Joey aborda Rachel no chuveiro e a estupra”.

Friends | Cole Sprouse era apaixonado por estrela da série quando criança

A produtora foi demitida ainda em 1999 da série, com a produção alegando baixo desempenho no trabalho. No entanto, logo em seguida entrou com um processo contra a dupla. De acordo com Amaani, o caso foi abafado na época por pessoas de Hollywood que atualmente defendem o movimento #MeToo, criado após a revelação dos crimes sexuais de Harvey Weinstein.

A desculpa utilizada para o processo não ser levado adiante na época foi da “necessidade criativa”, conforme aponta o portal. Os roteiristas teriam alegado que precisavam desse tipo de conversa por conta do processo criativo para escrever o roteiro.

Atualmente, Chase é roteirista da comédia Mom. Enquanto isso, Mallins está trabalhando no seriado Life In Pieces.